Curiosidades, Notícias, Dicas, Códigos

quinta-feira, 12 de abril de 2012

On 8:09 PM by Fabrício in ,    No comments

/*
À partir do Firefox 4 o navegador da Mozilla deixou de exibir uma função interessante que era usada por alguns usuários: quando tentávamos fechar várias abas de uma vez o navegador exibia a possibilidade de “Salvar e Sair”.



Felizmente o salvamento de abas no Firefox não foi removido, apenas desativado por padrão. Para “devolver” tal função ao navegador digite na barra de endereços about:config e dê ENTER.


Clique em “Serei cuidadoso, prometo!” e em localizar digite browser.showQuitWarning


Como ativar o Salvar e Sair abas no Firefox 4


Clique com o botão direito do mouse sobre o arquivo encontrado, selecione “Inverter valor” e pronto.


Logo após fechar a página de configuração a modificação já entra em vigor:


Como ativar o Salvar e Sair abas no Firefox 4


FONTE: www.guiadowindows.net/
*/

segunda-feira, 2 de abril de 2012

On 11:51 AM by Fabrício in ,    No comments
/*


Você encontrou notebooks que agradam, mas não sabe qual deles escolher? Faça estes testes rápidos ainda na loja para eleger o melhor.


Imagine o cenário: você precisa de um novo notebook, visita algumas lojas e encontra três modelos que lhe agradam, mas não sabe qual deles escolher. Nessa hora os testes simples abaixo, que podem ser feitos na própria loja, podem ajudá-lo a se decidir.


Note que eles fornecem apenas parte da informação de que você precisa para se decidir pela compra. Obviamente há características como o preço, design e confiança na marca, que você também tem de levar em conta e que não cobrimos aqui. Encare nossas dicas como um “critério de desempate”.


O número de testes que você poderá realizar varia de loja para loja. Em algumas você irá encontrar máquinas funcionando e prontas para o uso (e teste), enquanto em outras verá máquinas “trancadas” (protegidas com senha, ou atrás de um painel de acrílico) ou sequer ligadas.


Nosso conselho? Compre nas lojas que permitem que você experimente o produto. E evite aquelas que insistem em manter nas mesas e prateleiras computadores sujos, com teclas faltando ou telas rachadas (acredite, já vimos isso!): se elas mal se preocupam em atrair o consumidor, imagine como é o pós-venda!


1. Meça o tempo de boot


Usando um cronômetro no seu relógio ou smartphone, meça o tempo que a máquina leva entre você apertar o botão de força para ligá-la e o desktop do Windows surgir na tela. Quanto menor, melhor. Demora no boot pode significar um disco rígido lento ou pouca memória, e isso irá se traduzir em mais tempo na hora de abrir aplicativos (veja o item 5), o que acaba causando irritação e frustração no dia-a-dia.
Demora no boot pode ser indício de HD lento ou pouca memória


2. Confira o ângulo de visão


Olhe para o monitor de diferentes ângulos, vertical e horizontalmente. Sente-se em frente à máquina e ajuste o ângulo do monitor. Se as cores mudam com o menor movimento, a imagem fica rapidamente lavada ou perde o brilho, evite. Ela não vai ser uma boa opção na hora de ver fotos ou vídeos.


3. Fique de olho na tela


Visite um site com padrões de teste para monitores (como este) e observe a imagem sob vários níveis de brilho. As fontes pequenas são legíveis? É possível distinguir entre os tons mais escuros da escala de cinza? O tom de pele no retrato é natural? É fácil distinguir entre todas as 24 cores no canto inferior esquerdo? Tudo isso é importante se você pretende assistir filmes em seu notebook, ou mesmo retocar as fotos da viagem de férias com a família.


Veja também se o monitor não sofre com reflexos excessivos, e confira o brilho máximo (se possível, com as máquinas lado-a-lado). Embora ninguém vá usar um LCD com brilho máximo dentro de casa, isso é importante se você pretende usar o notebook ao ar livre. Quanto mais brilhante a tela, mais fácil será para ver a imagem.
Um teclado ruim pode fazer você cometer erros de digitação em excesso


4. Experimente o teclado


Este é um ponto subjetivo: pessoas diferentes gostam de teclados diferentes. O ponto chave aqui é ter certeza de que você se sente confortável com ele. Abra o bloco de notas e digite um ou dois parágrafos. Você consegue digitar rapidamente e com precisão? Ou cometeu muito mais erros do que de costume? Nesse caso, você pode estar diante de um teclado ruim.


Se a máquina estiver conectada à internet, faça um teste gratuito de digitação (leva só um minuto) em www.typingtest.com e compare sua pontuação entre várias máquinas.


5. Abra alguns aplicativos


Abra alguns dos programas pré-instalados e veja o quão rápida é a máquina nessa tarefa. Dê preferência a programas instalados em todas as máquinas que você está considerando (como o Word, por exemplo) para que você possa comparar diretamente a velocidade entre elas. Não use navegadores nesse teste, já que o tempo para “abrir uma página” depende mais da conexão de rede na loja do que do desempenho do hardware em si.


6. Analise o touchpad


Abra alguns sites e documentos e tente rolar a tela usando o touchpad. Veja se ele responde rapidamente aos seus gestos. Se for um touchpad “multitoque” abra uma imagem e experimente aproximá-la ou afastá-la (usando o gesto de pinça como em um tablet) e veja como a máquina responde. Ao fazer o teste de digitação (veja o item 4) fique atento à posição dos pulsos: a máquina ignora quando eles esbarram no touchpad (o correto), ou registra um toque e tira o cursor da posição, “bagunçando” o texto?
Se o touchpad não acompanha seus gestos, a frustração é certa


7. Preste atenção ao peso e à bateria


Não dá pra testar a autonomia de bateria de um notebook na loja, mas dá para tirar algumas conclusões baseadas no que os fabricantes informam: baterias são compostas por múltiplas células que armazenam energia. Se você tem duas máquinas com processador e tela similares (ex: dois Core i5 com tela de 15”) um modelo com uma bateria de “seis células” provavelmente irá durar mais que um com bateria de “três células”.


Não confie cegamente nos números de autonomia mencionados pelos fabricantes. Eles são obtidos com a máquina sob condições ideais, longe do que acontece durante o uso normal. Ao longo de anos de testes, chegamos à conclusão de que você pode tirar 30% do tempo anunciado para chegar a uma estimativa de autonomia mais realista. Ou seja, uma máquina que o fabricante anuncia como tendo “5 horas” de bateria na prática deve aguentar três horas e meia sob uso típico.


Por fim, não desconsidere o peso da máquina, especialmente se você pretende carregá-la durante o dia inteiro. 300 gramas a mais podem não parecer muito no papel, mas sua coluna com certeza irá sentir a diferença no final do dia. Quanto mais leve, melhor.

FONTE: idgnow.uol.com.br 
*/
On 11:32 AM by Fabrício in , ,    No comments
/*

De acordo com os principais tomadores de decisão de TI, empresas por todo o mundo estão aderindo aos estilos móveis de trabalho como uma maneira de fortalecer as inovações empresariais.  O Índice de Workshifting Global da Citrix, divulgado dia 30/03, revela que 93% das empresas terão implantado políticas de workshifting até o fim de 2013, muito acima dos 37% que já oferecem o workshifting para todos ou alguns funcionários.

O workshifting é um estilo móvel de trabalho alterando o local, horário e recursos para otimizar o tempo do profissional. Para algumas pessoas, isso significa levar o trabalho para lugares onde elas encontram inspiração e podem ser mais produtivas. Para as empresas, isso significa reduzir os custos dos negócios e de TI e, ao mesmo tempo, oferecer a flexibilidade de trabalhar em qualquer lugar, a qualquer hora e em qualquer dispositivo.

De acordo com os tomadores de decisão de TI, os benefícios do workshifting incluem: - a capacidade do usuário de escolher o melhor horário, local e dispositivo para trabalhar. 71% dos entrevistados apontaram que usam o workshifting para deixar as pessoas trabalharem em qualquer lugar e 63% para que elas trabalhem em casa quando necessário;

- acesso constante aos desktops e aplicativos. 94% dos tomadores de decisão de TI seniores concordam que a continuidade de vários negócios é muito importante, e 93% dos entrevistados concordam que a virtualização do desktop foi uma solução muito eficaz;

- a redução dos custos foi apontada como fator por 45% dos entrevistados. 39% mencionaram a possibilidade de recrutar mão de obra em regiões de menor custo, 38% fizeram referência à redução de custos imobiliários e 26% se referiram à sustentabilidade ambiental;

- atrair e manter os melhores profissionais através do trabalho flexível, remoto e estratégias de locais de trabalho alternativos. 51% dos tomadores de decisão de TI indicaram que adotam políticas de workshifting para ajudar a atrair e manter grandes talentos. Quase a metade dos entrevistados também apontou que o workshifting oferece acesso a um grupo de trabalhadores muito maior, facilitando a colaboração com e entre os parceiros terceirizados, empreiteiros, parceiros de negócios, funcionários temporários e consultores.

Virtualização do Desktop é a Plataforma Tecnológica do Workshifting A virtualização do desktop está emergindo como uma tecnologia fundamental para flexibilizar o local de trabalho: 91% das empresas planejam implantar a tecnologia até o fim de 2013.  Entre as empresas que estão adotando a virtualização de desktops, 57% apontam que estão implantando ou irão implantar a tecnologia para permitir o workshifting. A virtualização de desktops permite que funcionários acessem aplicativos e dados da empresa em qualquer lugar, a qualquer hora e em um dispositivo de sua escolha.  Além disso, os benefícios de segurança da virtualização do desktop garantem que as informações confidenciais da empresa estejam protegidas contra perda e roubo.  De acordo com os entrevistados, 92% das empresas adotaram ou estão adotando a virtualização de desktops para aprimorar a segurança da informação. As pessoas também podem se beneficiar de reuniões on-line e serviços de compartilhamento de arquivos, fomentando a colaboração independentemente da localização de cada indivíduo.


FONTE: olhardigital.uol.com.br
*/